Geral7 de maio de 2020Um dia eterno

http://www.ecnovohamburgo.com.br/wp-content/uploads/2020/05/foto-titulo.jpg

A primeira semana do mês de maio do ano de 2017 apresentou uma mistura de sentimentos no Estádio do Vale. Os dias que separaram a partida da ida da final do Campeonato Gaúcho e o segundo e decisivo duelo trouxeram um misto de tensão e euforia para o Esporte Clube Novo Hamburgo.

O empate em 2 a 2 na partida de ida, disputada no Estádio Beira-Rio, dava ao Anilado a missão de vencer pelo placar mínimo no confronto de volta para garantir a conquista da inédita taça. Qualquer empate levaria a decisão para os pênaltis. Dentro deste cenário, o técnico Beto Campos teve uma semana para preparar a equipe para a grande decisão a ser disputa no dia 7 de maio. Em paralelo a isso, a direção travava intensa batalha para trazer a partida para o Estádio do Vale, o que acabou não acontecendo, com o duelo indo para o Estádio Centenário, em Caxias do Sul.

| A história:

Após uma sequência de amistosos, o Noia fez sua estreia no Estadual em 30 de janeiro, vencendo partida equilibrada diante do Caxias, no Estádio do Vale. João Paulo marcou o único gol do confronto. Na sequência, o improvável. Com atuações arrasadoras e uma equipe cada vez mais entrosada, o Anilado entrou para a história ao alcançar a marca de 6 vitórias consecutivas, mantendo 100% de aproveitamento até a 7ª rodada da competição.

Com uma campanha praticamente irretocável, o Novo Hamburgo chegou à fase de mata-matas com a primeira colocação entre todos os participantes. Além disso, a equipe comandada por Beto Campos encerrou a fase inicial da competição com o melhor ataque e a segunda melhor defesa. No total, foram 19 gols marcados e apenas 9 sofridos.

Na fase de quartas de final, um novo campeonato e um velho conhecido. Apenas três dias após a última rodada da fase classificatória, Novo Hamburgo e São José já se encontravam para os primeiros 90 minutos de decisão. Iniciada no Estádio Vieirão, em Gravataí, a disputa contou com um personagem improvável. O atacante Juninho Brandão, que ainda não havia atuado com a camisa anilada, saiu do banco de reservas para garantir uma fundamental vantagem para o Noia. Em jogo extremamente truncado, o Novo Hamburgo contou com a estrela do jovem centroavante para vencer o confronto pelo placar mínimo.

Apesar da vantagem, o jogo de volta reservou muita tensão e emoção para o torcedor anilado. Podendo até empatar para avançar, o Noia não deu chance para o azar e contou com belo gol do volante Jardel para carimbar a vaga às semifinais do Gauchão 2017. Após o apito final, muita festa entre grupo de jogadores, comissão técnica e torcida. O Novo Hamburgo estava entre as 4 melhores equipes do estado e no mínimo já tinha o grande objetivo da temporada conquistado, o título simbólico de campeão do interior.

Passada a euforia, uma coisa era certa, não seria nada fácil chegar à final do Gauchão. O Anilado sabia disso, e mesmo tendo o gigante Grêmio pela frente, confiava na grande campanha realizada durante todo o campeonato, e acima de tudo na grande família que havia se formado no Estádio do Vale. E no dia 16 de abril, domingo chuvoso de Páscoa, a equipe comandada por Beto Campos começou a mostrar que verdadeiramente estava forte na briga pela tão sonhada taça do Campeonato Estadual.

Após um primeiro tempo equilibrado, onde com as linhas bem postadas, o Noia conseguiu neutralizar as investidas da equipe tricolor, o segundo tempo começou de forma preocupante. Com o apoio da torcida, o Grêmio cresceu na partida e abriu o placar logo aos 2 minutos. O Anilado, que se mostrou frio e letal nas 13 partidas anteriores, não mudou em nada a postura. Exatamente assim, aos 11 minutos, Juninho acertou lindo chute de fora da área, dando números de igualdade ao placar. Na sequência, a partida seguiu aberta, apresentado chances para as duas equipes, porém o marcador seguiu inalterado.

23 de abril de 2017. Dia mais importante da história centenária do Esporte Clube Novo Hamburgo. Assim era encarado o confronto de volta por uma vaga na grande final do Campeonato Gaúcho. A desconfiança por parte da imprensa e o amplo favoritismo dado ao Grêmio eram só alguns dos ingredientes que cercavam e davam ainda mais dramaticidade ao confronto. No entanto, o futebol já provou em muitas oportunidades, que os confrontos se decidem dentro de campo.

E dentro das quatro linhas, o Anilado mostrou toda a sua força. Com apoio da torcida, que lotou o Estádio do Vale, o Noia encarou a marca milionária Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense de igual para igual. A partida, equilibrada do início ao fim, começou a ter contornos épicos a partir dos 20 minutos da segunda etapa. Lucas Barrios mostrou oportunismo e abriu o placar. Com o resultado colocando o Grêmio na grande final, cabia aos comandados de Beto Campos demonstrarem novamente a frieza e letalidade citadas anteriormente. E não é que deu certo? Apenas 8 minutos mais tarde, Júlio Santos, o zagueiro artilheiro, subiu mais alto que a defesa tricolor e igualou o placar da partida.

Para completar a jornada épica, decisão nas penalidades. Com uma atmosfera poucas vezes vista, a torcida apoiou os jogadores do início ao fim. A estrela do gigante goleiro Matheus Cavichioli brilhou e após inúmeras cobranças, coube ao volante Amaral fechar a série com um chute firme, que estufou as redes do Estádio do Vale. Após uma campanha irretocável, vencia quem merecia. Após 65 anos de espera, o Novo Hamburgo estava de volta a uma final de Campeonato Gaúcho.

Domingo, dia 30 de abril de 2017. 43 mil pessoas lotavam o Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Entre estas dezenas de milhares de pessoas, dois mil anilados acompanhavam, quase que de maneira incrédula, a história ser escrita em frente aos seus olhos. Para o grupo de jogadores, comissão técnica e toda a equipe de apoio, era o início da consagração de um trabalho duro, sofrido, construído com muito suor desde o mês de dezembro. Profissionais que entravam em um dos principais gramados da América do Sul, para o jogo de ida da grande final do Campeonato Gaúcho 2017.

Dentro de campo, o que se viu foi um confronto de iguais. Assim como em todo o campeonato, o Novo Hamburgo em momento nenhum se colocou em uma posição de inferioridade, de equipe pequena. Ao contrário, o Anilado se mostrou mais uma vez valente, buscando o jogo dentro do Beira-Rio. E o Rio Grande do Sul mais uma vez se surpreendeu com a equipe comandada pelo professor Beto Campos. O jogo foi para o intervalo com 1×0 à favor do Noia, gol de João Paulo. No segundo tempo, o Inter buscou o empate, mas Assis colocou o Anilado novamente em vantagem no placar. Nico López deixou tudo igual e a primeira batalha pelo título gaúcho de 2017 terminou empatada.

Após o duelo de ida, o Novo Hamburgo iniciou a semana mais importante da sua história com foco e incertezas. Os dias que antecederam o confronto final do campeonato foram marcados pela indefinição do palco onde a partida seria realizada. Apesar de uma grande luta travada pela direção, o Estádio do Vale não teve sua liberação e o Estádio Centenário, em Caxias do Sul, ficou definido como o palco da grande final do Campeonato Estadual.

O mando de campo era do Anilado, porém o Estádio Centenário lotado, era ocupado em sua maioria por torcedores do Internacional. Mas assim como em todo o campeonato, o Novo Hamburgo não jogou sozinho e contou com a mobilização de um grande número de torcedores, que se fizeram presentes em Caxias do Sul, sendo fundamentais assim como nos 16 duelos anteriores.

Em campo, nenhuma surpresa. O técnico Beto Campos escalou o Anilado com o que tinha de melhor. Matheus Cavichioli no gol; Léo, Júlio Santos, Pablo e Assis na defesa; Amaral, Jardel, Preto e Juninho na meia-cancha; Branquinho e João Paulo fechando de maneira impecável o ataque.

Mais uma vez, o Novo Hamburgo terminou o primeiro tempo em vantagem no placar. Na etapa final, o Internacional empatou e levou a grande decisão para os pênaltis. Neste momento, novamente brilhou a estrela do goleiro Matheus Cavichioli ao pegar a cobrança de Nico López e deixar o Anilado em grande vantagem. Pablo foi para a última cobrança, e de perna direita, marcou o gol do título de Campeão Gaúcho de 2017, o primeiro da história do Esporte Clube Novo Hamburgo.

Incontestavelmente o Rio Grande era anilado. O título do time que mudou o jogo. Que em pouco mais de 4 meses passou de desacreditado a campeão estadual. Os anos passam, as lembranças aos poucos vão se tornando turvas, mas a história está escrita. Uma vez, no dia 7 de maio de 2017, o Esporte Clube Novo Hamburgo foi o maior time do Rio Grande do Sul.